terça-feira, 3 de março de 2015

Davi, arrependimento e perdão

Há os que atribuem as desgraças na família de Davi ao seu pecado com Bate-Seba.

Porém, quando lemos as escrituras, notamos claramente que a questão de Bate-Seba encerra-se com o arrependimento de Davi. Ao lermos 2 Samuel 12.24 entendemos isso. O nascimento de Salomão marca uma nova etapa na vida de Davi.

As consequências que Davi enfrentaria, por causa de seu pecado, seriam guerras constantes e o que Absalão fez com as suas concubinas publicamente (2 Samuel 12:11-1216:21-22).

O estupro de Tamar, a morte de Amnom, a sedição e morte de Absalão não tiveram nenhuma conexão com o que aconteceu antes, ou seja, com o pecado dele.

Davi não deixou de ser o ungido do Senhor. O próprio Deus dá testemunho dele a Salomão: "E, se andares nos meus caminhos, guardando os meus estatutos, e os meus mandamentos, como andou Davi teu pai, também prolongarei os teus dias." (1 Reis 3:14 - grifo meu; leia também 1 Reis 11:38).

É bem verdade que Davi não é nenhum exemplo para nós hoje. Como marido e pai ele deixou muito a desejar!

Mas as promessas de Deus não deixaram de se cumprir em sua vida porque ele "pisou na bola". Deus não age como o homem! Deus perdoou, está perdoado! "Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro." (Isaías 43:25).  "De seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais." (Hebreus 8:12). "E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades." (Hebreus 10:17).

Nós lembramos! Claro, não sofremos de amnésia.

Mas, enquanto nos lembramos dos pecados alheios Deus faz questão de se esquecer dos nossos, mesmo sendo o Todo-Poderoso, o Deus que tudo sabe e tudo conhece!

Deus age assim porque sabe quem somos e conhece os nossos corações. Ele olha o interior e sabe quem de fato se arrepende e quer uma nova oportunidade na vida. Davi demonstrou arrependimento sincero, basta ler os Salmos 32 e 51 para constatar isso.

Consequências do pecado sempre haverá, até porque Deus não tem o culpado por inocente, mas quem se arrepende, confessa e deixa alcança misericórdia.

Simples assim! 










Deus NÃO EXISTE!

Há alguns meses atrás assisti a um vídeo de um renomado pastor dizendo que Deus não existe.
Segundo ele, se Deus existisse Ele não seria Deus. Um Deus que existe não é Deus.
Algo ou alguém que existe é porque veio à existência, ou seja, teve um começo, um início, e Deus não se enquandra nessa definição de existência. Dizer simplesmente que Deus sempre existiu não é o suficiente e não o define, visto que não podemos definir Deus.
Então, segundo ele, o pastor, Deus É. Deus é Deus em si mesmo. Ele é Espírito. Ele é invisível. Ele É eternamente. Sem começo e sem fim. Ele faz existir, mas não está no existir. O existir é para os seres e as coisas criadas. Deus não pode ser visto e nem conhecido sem que Ele mesmo se revele. Ele simplesmente É!
Muito confuso para o meu pobre entendimento! Devaneio de palavras!
Deus é Deus em si mesmo, sem começo e sem fim, Ele é Soberano, Todo-Poderoso, e de eternidade a eternidade Ele é Deus (Sl 90.2), pronto e PONTO! 
Bem, mencionei isso apenas como uma introdução àquilo que pretendo discorrer, sem contudo, delongar-me nesse assunto.
Mas Deus não existe mesmo para muita gente. Falo da existência de Deus no sentido da Sua realidade, da Sua presença e manistação através das coisas e seres por Ele criados.
Tenho visto pessoas se declararem atéias simplesmente pelo fato de não conseguirem entender a realidade de Deus, então, é mais fácil dizer ou declarar que Ele NÃO EXISTE.
Mas sabe de uma coisa? Realmente Deus não existe para essas pessoas!
Deus não pode ser compreendido pelo raciocínio humano. E, Deus não é para ser compreendido, mas para ser crido, sentido e vivido no dia a dia de nossas vidas!
Quem não consegue experimentar o amor de Deus e se entregar sem reservas à Sua graça só lhe resta declarar-se mesmo ateu.
O não reconhecimento de que Deus está no controle de tudo e que Ele se interessa por mim faz de mim um ateu. Mesmo que, de certa forma, eu creia que Ele é real.
Crer que Deus existe e não relacionar-se com Ele é o mesmo que dizer: Deus não existe.