domingo, 9 de junho de 2013

Pequei

Uma das grandes diferenças entre Saul e Davi era o significado que cada um dava ao dizer "pequei".
Encontramos Saul dizendo que havia pecado por algumas ocasiões, mas confessava por questão circunstancial ou mesmo conveniência. Vemos isso em 1 Samuel 15, quando disse que havia pecado e até mesmo pediu perdão, porém Samuel deixou bem claro que Deus já o havia rejeitado. Ao que tudo indica, Deus não aceitou o pedido de perdão de Saul. E por quê? Porque não foi sincero, não havia se arrependido de fato.
Já Davi foi diferente.
Mesmo tendo cometido horrendo pecado de adultério e assassinato, ao ser repreendido confessou prontamente o seu pecado e recebeu de Deus o perdão, mesmo tendo que arcar com as consequências do que ele havia feito.
Pecado é pecado e deve ser encarado como tal.
Não adianta mascarar ou dar outro nome a ele.
Também não adianta simplesmente dizer "pequei" sem uma atitude que denote um real e verdadeiro arrependimento.
Deus é misericordioso, mas Ele espera de quem peca um verdadeiro arrependimento. Deus sabe quem de fato se arrepende!
Se um dos significados do pecado é "errar o alvo", que o arrependido "acerte o alvo" daqui para a frente, é o que se espera de quem confessa "PEQUEI"!


Um comentário:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

"Também não adianta simplesmente dizer "pequei" sem uma atitude que denote um real e verdadeiro arrependimento."


Graça e paz!

Acredito que o primeiro passo é a atitude interior da pessoa arrependida.

O ladrão, preso na cruz, não teve tempo de produzir outros frutos de sua conversão além das sinceras palavras que disse sobre Jesus naquele instante.

No caso de Saul, penso que havia um caminho para ele. Deus já havia escolhido Davi, mas o monarca obstinado recusava deixar o trono e ainda tentou lutar contra a vontade do Soberano das Nações. Tanto é que, reincidentemente, ele tenta matar o próprio genro.

Acredito que esse verdadeiro arrependimento do qual o irmão escreveu trate-se de uma entrega sem reservas, quando deixamos toda a nossa vida, planos e desejos aos pés do Senhor. Mas, por outro lado, nem sempre isto ocorre de imediato com as pessoas e daí ei vejo que todos estamos vivendo um processo. Até quem passa por uma conversão sincera e se vê na árdua tarefa de aperfeiçoamento espiritual.

Paz!