quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Amando e sendo amado

Há um falso conceito de que quem ama deve ser amado, ou seja, correspondido. O amor não exige nada em troca. Quem ama não exige, simplesmente ama e deseja o bem da pessoa amada,  mesmo que não seja ao seu lado, mesmo que não seja correspondido.
Isso é visto no amor de Deus pela humanidade. Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Amado para que todo aquele que nEle crê, não pereça, mas tenha a vida eterna. E pergunto: essa humanindade tem correspondido ao amor de Deus?  Claro que não! E Deus tem deixado de amá-la? Evidente que não!
Que melhor definição de amor do que a que encontramos em 1 Coríntios 13?
O amor que exige correspondência não é amor, é egoísmo e possessão. Há os que se utilizam deste princípio para exigir da pessoa que dizem “amar”a obrigação de corresponder. E quantos há que sentem até remorso por não amar tanto a quem lhes diz amar? Claro que estou me referindo neste caso ao amor “storge”. Ah, devo dizer antes de tudo que há quatro palavras gregas na Bíblia que são traduzidas por amor: eros, phileo, storge e ágape. Não vou defini-las detalhadamente, basta dizer que cada palavra é aplicada no contexto correto e define sim o amor na devida circunstância. Eros é o amor erótico, sensual, que deve existir entre os casais, que deve ser acompanhado do amor  “storge”, o amor romântico e coberto pelo amor “ágape”, a maior expressão do amor, que é o amor divino, sem deixar de lado o amor “phileo”, que é o amor fraternal.
O amor é sacrificial. É capaz de se sacrificar pelo bem do próximo. Jesus disse que ninguém tem maior amor do que sacrificar-se pelo irmão. Com isso fica evidente que não há necessidade de correspondência no amor.
Bem, dito isto, resta perguntar: você ama?
Shalom Adonai!

2 comentários:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Graça e paz!

Fico feliz em saber que o irmão continua escrevendo.

Posso compartilhar que Deus tem me ensinado a amar, mas que muito ainda preciso aprender.

Realmente devemos amar sem esperar retribuição. Curiosamente, apenas um dos leprosos curados por Jesus voltou para agradecer e o cara ainda era um samaritano...

Por outro lado, posso dizer que às vezes sou surpreendido pela retribuição sem medida de algumas pessoas. Às vezes bastaram pequenas sementes de amor e quem eu menos imaginava pode muito bem aparecer nas horas mais difíceis de minha vida. E foram sementes que germinaram sem eu saber.

Em meio ao caos em que o mundo se encontra, o amor mostra-se como solução para tanta amargura e egoísmo. Aliás, se a humanidade não tomar a consciência de que é preciso amar, penso que as gerações futuras não vão sobreviver. E, como disse o poeta Auden, citado em meu texto "A Regra de Ouro em meio ao caos ambiental", publicado em 26/01 no meu blogue:

"Amem-se uns aos outros, ou pereçam"

Zedequias Trajano disse...

Gostei muito deste artigo.