sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tenho medo!

imagePorque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu” (Jó 4.25).

O medo é um dos sentimentos mais fortes do ser humano. O medo tem um lado positivo e outro negativo.

O lado positivo está no fato de que, por medo, muitos deixam de cometer verdadeiras loucuras! Por medo, deixamos de enfrentar verdadeiros perigos que poriam em risco a nossa própria vida. Por medo, recuamos em meio ao perigo eminente. Assim, positivamente analisado, o medo não é algo ruim. Seria até mesmo um meio de sobreviver em face dos perigos e circunstâncias da vida.

Por outro lado, o medo também pode nos impedir de fazer grandes realizações na vida. Este é o lado negativo do medo. Grandes empreendedores venceram na vida porque romberam a barreira do medo e investiram seus recursos onde parecia não haver resultado algum. Correram o risco e foram bem sucedidos! Outros, entretanto, amargaram grandes derrotas, mas, pelos menos, não se acovardaram diante dos desafios!

Todavia, parece que Deus muitas vezes nos leva a enfrentar nossos próprios medos. O texto bíblico citado acima nos mostra a condição de um homem que tinha medo da situação que enfrentava. O que ele tinha medo lhe aconteceu. Desta forma, sua segurança era aparente, não era verdadeira, porque se tinha medo, não poderia viver tranquilo. O medo apavora o ser. Certo vez ouvi uma pessoa dizer: “tenho medo de ter medo!”. Ou seja, era uma pessoa corajosa, mas tinha medo de qualquer forma, mesmo que fosse medo de ter medo!

Deus fez Jó enfrentar seus temores para que no final ele pudesse confiar mais nEle. A confiança e o amor lançam fora o medo! Eis o que disse o salmista “O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida; de quem me recearei?” (Sl 27.1). Sim, Deus nos leva a enfrentar nossos medos para que aprendamos a confiar inteiramente nEle. Certamente depois de ter passado por aquela amarga experiência, Jó deixou de ter medo e passou a confiar mais em Deus. Leiamos suas próprias palavras: “ENTÃO respondeu Jó ao SENHOR, dizendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia. Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás. Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza” (Jó 42.1-6).

Aprendamos a confiar mais no Senhor Deus e deixemos de lado todo o medo!

Um comentário:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Graça e paz! Quem é que não sente medo? Lendo sobre o assunto, lembrei-me das duas situações em que os discípulos sentiram-se atemorizados quando navegavam pelas águas do Mar da Galileia. Numa delas, Jesus já estava no barco e os discípulos estavam com medo da tempestade. Na outra situação, eles tiveram medo do próprio Jesus, quando o Senhor aproximou-se do barco andando sobre as águas. Dentre os vários significados que podemos dar às duas passagens relatadas pelos Evangelhos, é certo que Jesus permitiu que os discípulos fossem confrontados com seus próprios medos durante alguns instantes, o que lhes serviu de importante aprendizado para o ministério apostólico, dependendo das direções dadas pelo Espírito Santo.